• Eliane Silva

Por que motivar as pessoas não funciona... E o que funciona

A nova ciência de liderar, energizar e engajar


O dilema da motivação


As pessoas não sofrem com a falta de motivação. A questão é: o que as motiva? O que motiva você a sair da cama todas as manhãs? Alcançar os seus objetivos? Ser mais independente? Envolver-se em atividades que correspondam aos seus valores?

“Uma grande ironia da liderança é que motivar o seu pessoal não funciona porque as pessoas já estão motivadas. As pessoas estão sempre motivadas.”

A motivação é importante em qualquer local de trabalho. Você talvez pense que ter mais motivação é sempre melhor. Mas o seu grau de motivação não prevê o seu sucesso na vida. O sucesso está na essência de sua motivação, não na quantidade. Como gestor, você enfrenta um problema: você é responsável por motivar os membros de sua equipe, mas, na verdade, você não tem como fazê-lo. Este é o “dilema da motivação”. Tudo o que você tem são “cenouras e varas” para aplicar como recompensas ou correções. No entanto, nenhuma delas explora a essência da motivação. Você deve estar atento às “necessidades psicológicas” subjacentes que geram motivação e perguntar à equipe o que as motiva.


Três Necessidades Psicológicas


A nova ciência da motivação pode ajudar você a entender e superar o dilema da motivação. São três as necessidades psicológicas que impulsionam a ação humana:

  1. Autonomia: Sensação de que você é capaz de decidir o que deseja fazer.

  2. Relacionamento: Disposição de se importar com as outras pessoas, estimulando-as a se preocuparem com você.

  3. Competência: Sensação de ser eficaz e capaz de demonstrar as suas capacidades.

“Ensinar os líderes sobre motivação é difícil porque eles acreditam que seu trabalho é motivar os outros, não eles mesmos.”

Imagine um gerente muito controlador que não lhe permite tomar decisões. Você não sente que tem autonomia e isso pode afetar a sua percepção de eficácia e competência. As coisas podem piorar ainda mais. Você deixou de acreditar que o gerente de linha se preocupa com você. A ausência da autonomia afeta as suas três necessidades psicológicas – como a queda de uma sequência de dominós. A sua tendência natural é pensar em procurar outro emprego.


Teoria da pulsão


As pessoas costumam dizer que alguém tem um “drive motivacional”, ou pulsão, quando observam que a pessoa apresenta grande motivação. O termo está relacionado à teoria da pulsão, a qual afirma que quando você sente necessidades, como sede ou fome, você é levado a beber ou a comer. Depois de satisfazer estas necessidades, você não se sente mais motivado. Drivers motivacionais externamente fortes, como dinheiro, um escritório maior ou um título novo, contêm certo risco: eles enfraquecem e diminuem a motivação interna que se baseia na autonomia, relacionamento e competência. Agir de forma independente, preocupar-se com os colegas ou concluir um projeto têm o poder de energizar você por um longo período de tempo.


Auto ajuste


A capacidade de se ajustar e regular pode ajudar você a gerir seus sentimentos e proteger suas necessidades psicológicas à medida que você lida com pressões e restrições relacionadas ao trabalho. O auto ajuste inclui a capacidade de compensar e lidar com situações que desencadeiam as suas emoções ou distraem você. Quando as condições do seu ambiente de trabalho não são confiáveis ou se tornam inseguras, você enfrenta uma necessidade maior de auto ajuste. Em um ambiente mais estável, esta necessidade é menor. Entretanto, como os ambientes de trabalho são muito voláteis, procure aprimorar a sua capacidade de auto ajuste.


Três habilidades da motivação plena


A primeira tarefa dos líderes é manter a sua própria motivação. Portanto, aplique este modelo de otimização na sua vida antes de aplicá-lo na vida dos outros. Ensinar os líderes a praticarem habilidades relevantes pode ser mais difícil do que parece, mas coisas boas acontecem quando você adota ou prima por um olhar motivacional pleno. Para tal, selecione um projeto, meta ou situação com o qual você se engaja em casa ou no trabalho. Aplique três habilidades ou análises a este projeto, com o objetivo de alcançar a motivação plena:

  1. Identifique o foco do seu olhar motivacional. Esta é a primeira habilidade a ser exercida para alcançar a motivação plena. Pergunte-se: Você está realmente interessado? Este projeto é importante para você? As recompensas externas, como aumentos de salário ou bônus, motivam você? A sua motivação é “imposta”, uma reação à pressão de realizar algo para que você não se sinta culpado? Os seus objetivos e atividades estão alinhados aos seus valores? Você está trabalhando em algo gratificante e intencional? Este projeto está integrado aos parâmetros com os quais você se comprometeu? A tarefa lhe dá prazer e parece favorável porque realizá-la é algo natural para você?

  2. Decida aonde direcionar o seu olhar motivacional. Você quer continuar com a sua perspectiva atual ou pretende explorar um olhar mais positivo e satisfatório? Procure se lembrar daquela vez em que experimentou uma sensação de “fluxo”, ficando tão absorto em uma tarefa que esqueceu de tudo ao seu redor. O tempo voou e você se sentiu positivo e cheio de energia, feliz com o que realizou. O fluxo positivo é difícil de reproduzir do zero. É mais provável que você o obtenha no contexto de um olhar motivacional integrado ou favorável. E ele faz bem para você. Experimente o fluxo através dos videogames. Eles são uma boa distração e podem lhe trazer uma sensação favorável de fluxo, mas não exagere. Muitas pessoas acabam se sentindo esgotadas e cheias de remorso mais tarde, a menos que possam vincular o jogo a um propósito nobre.

  3. Reflita sobre a sua situação motivacional atual e seu potencial de mudança. Esta habilidade ajuda você a avaliar o seu olhar emocional. Como você se sente em relação à sua motivação? Você avançou com os seus projetos, metas e atividades a ponto de influenciar positivamente a sua motivação? Refletir sobre suas emoções pode não ser intuitivo; os empresários tendem a dar mais atenção à análise racional e menos aos sentimentos. Mas todos temos sentimentos, então porque não reconhecer o seu? As emoções desempenham um papel vital em influenciar o seu bem-estar – o núcleo do seu olhar motivacional.


Mestres da motivação


Quem foi a melhor pessoa com quem você já trabalhou? Talvez você pense em um ex-chefe, diretor ou colega? O que você gostou no estilo, valores e senso de propósito deste indivíduo? Esta pessoa tinha uma abordagem consciente da liderança e criava um ambiente de trabalho no qual as pessoas pudessem crescer e progredir? Conhecer pessoas com essas qualidades é uma experiência enriquecedora.


“As recompensas podem ajudar as pessoas a iniciarem comportamentos novos e saudáveis, mas fracassam miseravelmente na hora de ajudar as pessoas a manterem o seu progresso ou sustentarem os resultados.”

Você pode fazer a diferença na vida das pessoas. Ao se comunicar com as pessoas que lidera, você é capaz de desbloquear a motivação do grupo: os diálogos que você inicia e as palavras escolhidas vão certamente fazer toda a diferença para as pessoas ao seu redor.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo