• Eliane Silva

Já ouviu falar em Inteligência Espiritual?

Aprenda a desenvolver a Inteligência que faz a diferença.



No início do século XX, o QI (Quociente de Inteligência) tornou-se assunto constante nas rodas de conversas. Nossa inteligência intelectual, ou racional, é a que usamos para solucionar problemas lógicos ou de grande importância. Psicólogos desenvolveram testes para avaliá-la, e estes tornaram-se instrumentos para classificar o grau de inteligência dos indivíduos, indicando suas habilidades e talentos. Quanto mais alto o QI do indivíduo, dizia a teoria, maior sua inteligência.


Em meados da década de 1990, Daniel Goleman popularizou pesquisas realizadas por diversos neurocientistas e psicólogos, demonstrando que a inteligência emocional se reveste-se de igual importância.

A IE nos dá percepção de nossos sentimentos e dos sentimentos dos outros. Nos dá empatia, compaixão, motivação e capacidade de reagir apropriadamente à dor e ao prazer. Ainda de acordo com Daniel Goleman, a IE constitui requisito básico para o emprego efetivo do QI. Se estão lesionadas as áreas cerebrais com as quais sentimos, nós pensamos com menos eficiência.


No fim do século XX, um conjunto de dados científicos, ainda não assimilados, nos apresentou um terceiro “Q”. A descrição total da inteligência humana pode ser finalmente completada com a discussão da inteligência espiritual ou, abreviadamente, QS “Quociente Espiritual”. Inteligência espiritual é a inteligência com que abordamos e solucionamos problemas de sentido e valor, a inteligência com a qual podemos inserir nossos atos e nossa vida em um contexto mais amplo, mais rico, mais gerador de significado; a inteligência com a qual podemos avaliar que um curso de ação ou caminho na vida faz mais sentido do que outro.

O Quociente Espiritual (QS) é o embasamento necessário para o funcionamento eficaz do QI e do QE. É a nossa inteligência final.

Em condições ideais, as três inteligências básicas funcionam juntas e se apoiam mutuamente. O modo como funciona nosso cérebro permite que elas tenham condições de fazer isso, mas todas, o QI, o QE e o QS, apresentam uma área própria em que são mais fortes e podem também funcionar separadamente. Isto é, não somos necessariamente poderosos ou fracos em todas as três ao mesmo tempo.

Não precisamos ter um poderoso QI ou QS para termos um QE alto. Podemos ser fortes em QI e fracos em QE e QS, e assim por diante.

Qualidades comuns de pessoas Espiritualmente inteligentes:

Praticam e estimulam o autoconhecimento. Procuram se conhecer, buscam os seus propósitos, sua natureza e a sua essência. Sabem as suas virtudes e enfrentam seus obstáculos internos.

São levadas por valores. São idealistas. Motivam-se por significados e sentido de integridade; vão além dos imediatismos e objetivos egóicos.

Têm capacidade de encarar e utilizar a diversidade. Superam os obstáculos usando os problemas, as adversidades e desafios para aprender e serem melhores. Não excluem e não negam os acontecimentos, diferenças e dificuldades. Perguntam-se: O que posso aprender com isso?

São Holísticas. Não pensam pequeno ou só em uma parte ou aspecto das coisas. Ampliam a percepção, sentem-se parte de um todo social, planetário e cósmico. Sabem que suas decisões e ações afetam tudo e que, tudo nos afeta.

Celebram a diversidade. Reconhecem a riqueza da vida que só é possível com as diferenças e diversidade. Pessoas, cores, culturas, lugares e formas de ser e agir são fontes de aprendizados e transformações.

Têm independência. Estão no comando de suas próprias vidas, interagindo e manifestando respeito com tudo e com todos; mas com autonomia nas suas escolhas e caminhos.

Perguntam-se sempre: “Por quê?". Querem o verdadeiro significado dos acontecimentos e situações. Afinal, qual o propósito? Qual a razão?

Têm capacidade de colocar a coisa num contexto mais amplo. Têm foco; mas conseguem perceber e enxergar as coisas em suas múltiplas ligações e complexidade com a vida, em geral. Agem localmente pensando globalmente.

Têm espontaneidade. Estão conectadas com suas verdadeiras essências. São pessoas que expressam a sua verdade interior sem medo ou sentimento de culpa; porém com gentileza e respeito.

Têm compaixão. Manifestam respeito e amor a tudo e às infinitas realidades da vida. Sabem o seu valor e são empáticas com as outras pessoas, em conexão com sentimentos e necessidades alheias.


Como podemos desenvolver a Inteligência Espiritual?


Temos quatro tipos de percepção: a sensação, no plano físico, a emoção, no plano vital ou energético, e o pensamento, no plano mental. E também a percepção sutil, a intuição, no plano supra mental. Quando dependemos apenas do racional, que é a tendência hoje em dia, jogamos fora nossa intuição. O aspecto sensorial nós não descartamos, porque ele faz parte da relação física com o mundo, mas frequentemente ignoramos bastante a emoção e a intuição. Isso precisa mudar. Seguem algumas dicas para treinar sua intuição e suas emoções:

Tenha Autoconsciência espiritual. É preciso descobrir quem você é e quais são as características verdadeiras da realidade em que vive. Busque a autenticidade e deixe falar o seu "eu interior".

Seja Espontâneo. Encare cada problema como algo novo. Aprenda a desapegar de suposições, interpretações antigas, preconceitos ou dificuldades vividas na infância. Aproveite o momento e se situe no presente.

Saiba quais são seus Valores e sua visão de mundo. Quais são os princípios que regem a sua vida? Com o que se compromete no trabalho, em relações pessoais e sobre o futuro da natureza?

Seja Holístico. Seus sentimentos e pensamentos influenciam todo o sistema. Assim, assuma sua parcela de responsabilidade sobre o mundo.

Tenha Compaixão. Preste atenção nas dores, frustrações e comportamentos alheios. Entenda como se dá determinada sensação e seja compreensivo.

Celebre a diversidade. A diferença é essencial para o surgimento de novas ideias. Conviver com pessoas que nada se assemelham com você faz com que questione suas afirmações e desenvolva interesse pelo novo.

Seja autentico. Nade contra a maré! Mesmo que sua opinião seja impopular, mas fiel aos seus princípios, defenda-a. Só tome cuidado para não ser arrogante.

Tenha humildade. Esse conceito se relaciona com o anterior. É preciso duvidar de suas visões de mundo e perguntar-se: "Será que já ouvi tudo de todos?".

Faça perguntas. Por que faço algo de um jeito e não de outro? Qual a finalidade disso? O mundo poderia ser diferente? Em suma, não aceite afirmações sem questionar o que dizem e muito menos faça coisas porque somente disseram a você. Questione o porquê daquilo.

Seja observador. Se distancie da situação e tenha uma visão mais ampla do todo. Aprenda a observar de outra perspectiva.

Pratique a Auto aceitação. Reconheça e aceite os próprios erros - afinal, cometer equívocos é humano e o sofrimento é algo inevitável. O segredo é saber lidar com decepções e falhas.

Entenda sua vocação. Gerencie sua vida com um propósito maior do que apenas ganhar dinheiro, pois você pode fazer a diferença e beneficiar quem está próximo ou o mundo todo.


Nós encontramos propósito quando conseguimos enxergar além do nosso ego. Que você encontre propósito. Que você se conecte com seu destino. Que você procure e ache o sentido da sua vida. Que você acesse a sua Inteligência Espiritual!

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo