• Eliane Silva

Hábitos Emocionais

Sete coisas que as pessoas resilientes fazem de forma diferente (e como

elas podem ajudar você a ter sucesso nos negócios e na vida).

As pessoas mais bem-sucedidas não são necessariamente as mais inteligentes ou mais instruídas; são as mais resistentes emocionalmente.

Elas não permitem que as emoções negativas obscureçam o seu julgamento. Em vez disso, reconhecem estes sentimentos como sendo inevitáveis e assumem a responsabilidade por suas ações. Elas são capazes de se afastar de uma situação e não permitir que as emoções assumam o controle.

Assumir o controle das emoções negativas não é o mesmo que suprimi-las.

Cada pessoa responde ao estresse e a negatividade de forma diferente. Alguns podem se isolar dos amigos e comer caixas de chocolates. Outros podem atacar gritando. Porém, as pessoas emocionalmente resilientes são capazes de enfrentar suas emoções negativas sem se sentirem sobrecarregadas. Assumir o controle das suas emoções negativas não é a mesma coisa que suprimir as emoções negativas. A supressão é prejudicial, porque as emoções negativas são parte da vida. Em vez de sufocar suas emoções, esteja consciente delas. Identifique a “lacuna” entre um estímulo (algo que acabou de acontecer) e como você responde a ele.


As pessoas emocionalmente resilientes assumem o controle dessa lacuna. Elas observam sete hábitos básicos que ajudam a controlar seus sentimentos. Para dominar as suas emoções, entenda e implemente esses hábitos:

  1. Respeite suas emoções. As pessoas resilientes reconhecem suas emoções, aceitam a responsabilidade por elas e aprendem a interpretar as intenções positivas das suas emoções. Desse modo, você é responsável por suas emoções. Você pode culpar outros fatores, como o tráfego pesado durante a ida para o trabalho na segunda-feira, mas apenas você é responsável por se sentir apressado e com raiva.

  2. Adote posturas poderosas. A sua linguagem corporal reflete o que você sente por dentro. Se você está triste, a sua postura é decaída; você pode franzir a testa com os lábios curvados para baixo ou chorar. Se você está feliz ou orgulhoso, você ergue os ombros ao sorrir, com os lábios curvados para cima.

  3. Desenvolva a sua capacidade de concentração. Em vez de reagir a um estímulo, mude o seu foco para alterar o significado do estímulo e indicar um resultado melhor. Você reage de certa maneira porque o seu cérebro encontra significado em cada resposta aos estímulos. Se você alterar os significados encontrados, vai ser capaz de alterar também as suas respostas – o que deve produzir uma emoção diferente e possivelmente mais positiva. Imagine que duas pessoas são demitidas. Uma diz que a sua vida acabou e que não vai encontrar outro emprego tão bom. A outra lida com a dor de maneira diferente. Ela se permite tentar algo novo, como mudar de carreira ou voltar a estudar.

  4. Mude as suas crenças. As pessoas resilientes são capazes de mudar ou moldar as suas crenças e responder aos estímulos externos de maneiras diferentes. As suas crenças responder aos estímulos externos de maneiras diferentes. As suas crenças são tão poderosas que afetam você fisicamente. Por exemplo, veja o conhecido efeito placebo. Os pacientes que ingerem um placebo – uma pílula ou tratamento falso ou ineficaz – muitas vezes se sentem melhor simplesmente porque esperam que a pílula ou o tratamento os façam se sentirem melhor. As suas crenças podem se tornar profecias autorrealizáveis. Estando com medo ou ansioso, você acaba se sentindo doente fisicamente. Estando contente ou feliz, você vai se sentir melhor.

  5. As pessoas emocionalmente resistentes entendem como utilizar as perguntas para melhorar a si mesmas. Esteja ciente de que perguntas “pesadas” levam a uma resposta negativa. São perguntas do tipo: “Por que meu chefe nunca me respeita? O que eu fiz para merecer isso?” e “Por que a vida é tão injusta?” Se você estiver fazendo uma pergunta com um pressuposto negativo, tome a decisão consciente de contestá-la. Prefira perguntas como “O que posso aprender com isso?” e “Como posso utilizar estas lições para ter sucesso nos meus novos objetivos?” Estas alternativas encorajam o pensamento positivo e impulsionam você, em vez de gerar auto piedade e depressão. Desenvolver um maior autoconhecimento ajuda você a dominar melhor as suas emoções.

  6. Desenvolva autorreflexões e “filmes mentais positivos”. Aprenda a modificar as suas autorreflexões e “filmes internos”, ajustando os controles. Em termos emocionais, o seu cérebro recria memórias através de três sentidos: visual, auditivo e sinestésico. Por exemplo, se você estiver com raiva, o seu cérebro vai visualizar uma imagem na sua cabeça associada a tal (o poder das nossas crenças) em nosso benefício, mas nem todas as nossas crenças são produtivas. Na verdade, cada um de nós possui certas crenças que são bastante debilitantes.

  7. Supere os maus hábitos modificando o ciclo de eventos “antecedentes, comportamentos e consequências nas suas vidas. Se o controle da raiva é um problema, em vez de cerrar os punhos, tenha uma postura alternativa ou relaxe as mãos e respire lentamente para liberar a tensão. Se você alterar o antecedente (estímulo) ou as ações, vai ser capaz de alterar e controlar a consequência emocional.




1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo