• Eliane Silva

Emoções destrutivas

7 passos para dominar as emoções, desejos e impulsos tóxicos que te sabotam


Decisão Emocional Versus Intelectual


Diante de um conflito você costuma agir impulsivamente sob a influência de emoções que prejudicam a sua capacidade de tomar decisões bem pensadas? Alguém que consiga ativar os seus “gatilhos emocionais” pode acabar distorcendo a sua sensatez. Em uma situação emocionalmente carregada, a inteligência e a razão podem ser postas de lado.

“As emoções não são necessariamente boas ou más; elas se tornam benéficas caso os seus níveis de energia sejam catalisados e levem você a fazer uma escolha positiva e benéfica no âmbito da sua vida pessoal.”

A raiva, ansiedade, angústia, e até mesmo o amor podem ser emoções tão avassaladoras que acabam causando uma reação fisiológica que afeta negativamente a sua capacidade de agir de maneira estratégica. Os seus sentimentos por si só não geram discórdia, mas expressá-los de forma errada pode sabotar você. Ao invés disso, transforme as suas emoções em parceiras, orientando-as e expressando-as da forma adequada.

“Leve cuidadosamente em conta todas as consequências antes de fazer escolhas pessoais que afetem a sua vida.”

Abrandar um conflito entre o seu intelecto e seus sentimentos exige uma boa gestão das emoções, onde você deve canalizar os seus pensamentos e se concentrar nos objetivos e resultados que deseja alcançar. Este “controle emocional” começa com o reconhecimento do papel importante que os seus sentimentos têm em sua tomada de decisão, particularmente quando as escolhas cruciais da vida estão em jogo.

“Níveis de energia extremamente tóxicos e cheios de tensão desencadeados por certas pessoas, eventos, coisas e percepções muitas vezes nos afetam repetidamente e fazem com que os nossos padrões de comportamento se tornem destrutivos e sabotadores, causando grandes prejuízos.”

Tais escolhas, que são cruciais, podem envolver a carreira, a perda de peso ou a decisão de se tornar um pai ou mãe melhor. Com a consciência bem alerta, descubra que, ao invés de agir por impulso, você tem a capacidade de pensar nas diferentes opções antes de tomar qualquer decisão.


Os 7 Passos do Domínio Emocional


A jornada em busca do domínio das emoções envolve os sete passos seguintes:


1. Identifique os Seus Gatilhos Emocionais Pessoais Mais Poderosos


Todos temos objetivos singulares. Alguns objetivos são mais concretos (o seu “ouro”), enquanto outros representam uma visão mais ampla de quem você gostaria de ser ou de onde você deseja chegar (a sua “verdade”). Por exemplo, o seu ouro pode ser se tornar um profissional de sucesso, enquanto a sua verdade pode ser o desejo de que as pessoas lhe vejam como alguém amável e confiável.

“A expressão de uma emoção pode fazer toda a diferença se tiver um resultado positivo que impulsione a autoestima, ao contrário de um resultado que se torne autodestrutivo e nocivo para a autoestima.”

Examine cuidadosamente os seus gatilhos emocionais pessoais, os sentimentos que levam você a agir de forma positiva ou negativa. É fundamental avaliar o que inflama as suas emoções. Faça um balanço cuidadoso de como as suas emoções provocam determinado comportamento e assim as aproveite como forças positivas.


2. Antecipe as Escolhas Difíceis


Se você já agiu com as suas emocões em um momento tenso, é provável que tenha desejado antecipar a sua reação e tratado a questão de forma diferente. Para evitar que os seus sentimentos impulsionem as suas ações, planeje com antecedência. Estando consciente das suas tendências, você pode adquirir a capacidade de se preparar para um possível dilema com antecedência e tomar as decisões mais inteligentes sobre como agir. Prepare-se para controlar as suas reações conscientemente e não de maneira impulsiva.

“Nós valorizamos e focamos nas escolhas pessoais conscientes, porque, como seres humanos, temos a capacidade de pensar, arrazoar e avaliar com clareza antes de tomar as nossas decisões.”

Quando os seus objetivos pessoais são bem claros, fica mais fácil fazer as escolhas inteligentes, mesmo em momentos que ativem as suas emoções. Determine os seus objetivos tangíveis (ouro) e intangíveis (verdade), preparando duas listas: uma com resultados mais desejados e outra com aqueles que você definitivamente não deseja. Ao compilar a primeira lista, faça a si mesmo algumas perguntas significativas, tais como “O que eu quero realmente alcançar com esta opção de vida?” e “Quais são os objetivos da minha carreira?”. Na segunda lista, pergunte-se: “O que eu quero da vida? Do que tenho medo? Que tipo de amizades estou procurando?” e “Que tipo de pessoa eu realmente quero ser?”.

“Identifique as pessoas, coisas e eventos que você valoriza acima de tudo.”

Embora pareça algo simplista, listar os desejos, necessidades e esperanças do seu coração, alma e psiquê pode deixar você mais perto da vida que procura. Imagine que você assinalou na sua lista de ouro o desejo de parar de beber e levar uma vida sóbria. Prepare-se para as pessoas que vão insistir em lhe oferecer bebidas alcoólicas em vários momentos sociais. Tome a decisão consciente de pedir uma bebida não alcoólica ao invés de aceitar a oferta. Após identificar o seu objetivo comportamental, antecipar uma situação de estresse e preparar uma ação alternativa, você estará pronto para tomar uma decisão inteligente.


3. Construa o Seu Futuro


Muitas pessoas utilizam a “visualização” como uma ferramenta poderosa de motivação para alcançar os seus objetivos. Por exemplo, um atleta pode se imaginar ganhando uma competição, ou uma pessoa doente poderia se imaginar saudável. Para alcançar os seus objetivos de longo e curto prazo, visualize o sucesso com o máximo de detalhes. Gerar essa imagem do sucesso pode ser um incentivo para tomar decisões cruciais. A visualização é como uma fotografia positiva na sua mente, algo como atravessar a linha de chegada em uma maratona.

“Ao manter atualizados o seu ouro e a sua verdade, o seu sucesso se tornará sustentável.”

Para evitar uma situação negativa, como dirigir alcoolizado, um motorista poderia criar uma visualização de como este comportamento resultou anteriormente em uma consequência prejudicial. A visualização é uma ferramenta altamente motivacional para fazer opções inteligentes e bem pensadas que levam ao resultado desejado. Ela fornece uma forte lembrança do que fazer e do que não fazer. Crie imagens mentais vívidas de como você poderia ter lidado com um evento passado, como quando perdeu a paciência com um colega de trabalho e defina eventos futuros, como a palestra que você vai dar. Veja-se no momento e pense nos vários resultados possíveis; isso pode ser uma força motriz do seu controle emocional. Aprenda e pratique esta habilidade e transforme o seu comportamento.


4. Trabalhe Tanto com a Energia Positiva como a Negativa


Quebrar padrões de comportamentos negativos e fazer mudanças pode ser particularmente difícil para alguém que viveu em um ciclo destrutivo por algum tempo. Por exemplo, uma pessoa aprisionada em um relacionamento abusivo pode se sentir incapaz de escapar e ter dificuldade em avançar. Acumular imagens positivas, como imaginar bons momentos com os amigos, vai ser um grande incentivo de mudança.

“O lado bom dos seus erros do passado é que você pode aprender com os mesmos e entender de forma objetiva o que deu errado, além de se equipar com um conjunto de competências mais evoluído e eficaz.”

Aprenda a identificar e desarmar os pontos de ignição “autodestrutivos”, tais como os sentimentos de impotência ou incompetência. Libere a sua raiva e se livre do estresse. Identifique pessoas, lugares e coisas que levam você a responder de forma potencialmente negativa e descarte a energia pessimista que promovem. Identifique quem ou o que tem apertado os seus gatilhos e dissipe tal tensão. Reflita sobre sua história pessoal. Aborde qualquer característica herdada, como uma história de depressão ou raiva descontrolada.

“Busque o máximo de clareza e precisão intelectual ao fazer as suas escolhas pessoais.”

Faça um balanço dos incidentes anteriores gerados por seus comportamentos prejudiciais. Detecte o gatilho de tal comportamento prejudicial. Perdoe a si mesmo e mostre compaixão aos que feriram você. Isso ajuda a quebrar os ciclos de comportamentos negativos.


5. Mantenha Uma Lista de Lembretes ao Alcance das Mãos


Você já fez o trabalho mais difícil de canalizar as suas emoções para poder tomar decisões melhores. Agora, para recapitular:

  • Deixe claro as escolhas pessoais que você quer fazer: tenha a sua lista a postos e não esqueça os padrões de comportamento passados; identifique exatamente aquilo que quer e não quer. Pense nas consequências de cada escolha.

  • Utilize a visualização para evitar repetir padrões de comportamento prejudiciais. Aprenda com as imagens negativas para evitar condutas destrutivas. O evento que está visualizando teve um efeito nocivo na sua história? O que você aprendeu com ele? Se pudesse, o que faria diferente?

  • Identifique os gatilhos que desequilibram as suas emoções. O que provoca as respostas mais fortes? É possível utilizar esses sentimentos em seu benefício?

  • Acumule imagens positivas. O que enche você de otimismo e incentiva as suas mudanças de comportamento? Quais pessoas, lugares e coisas deixam você realmente feliz? Aproveite a força dessas imagens positivas para impulsionar os seus objetivos.

  • Livre-se da energia negativa. Identifique os fatores que fomentam a energia negativa e procure evitá-los e descartá-los. Perdoe-se pelos erros do passado e tire lições de vida. Faça o mesmo com aqueles que desapontaram e machucaram você.

  • Leve em conta as consequências adversas. Estar ciente de todas as consequências de uma determinada ação vai impedir você de fazer escolhas que tenham repercussões prejudiciais. Visualize o pior cenário possível e fuja dele.

  • Faça a si mesmo perguntas importantes sobre o que você quer da vida. Saber o que se quer e que tipo de pessoa se quer ser promove escolhas inteligentes e livres de emoções.

  • Conte as bênçãos recebidas. Tenha uma atitude de gratidão e não se deixe estressar por assuntos triviais.

  • A prática faz a perfeição. Antecipe a sua atitude diante das situações difíceis e esteja bem preparado para obter os melhores resultados nas mais diversas situações.

6. Prepare-se para Tomar Decisões Consistentes com os Seus Objetivos Pessoais


As escolhas na sua vida pessoal são as maiores e mais importantes decisões a serem tomadas por você. Quando chega a hora de bater o martelo, conheça bem a sua verdade e o seu ouro. Por exemplo, muitas pessoas optam por deixar de fumar. Esta decisão é carregada de gatilhos emocionais pessoais: talvez você fume para aliviar as suas reações emocionais. Mas perseguir o objetivo bem definido de viver uma vida longa e saudável pode ajudar um viciado em fumo a parar de fumar. Se você estiver planejando tomar uma decisão pessoal importante, tal como a possibilidade de mudar de carreira, iniciar uma família ou parar de fumar, pense com cuidado sobre o que você realmente deseja. Faça uma visualização das suas opções e assim se prepare para o momento certo.


7. Reveja o Seu Processo de Decisão sobre a Vida Pessoal


Reveja com frequência a sua lista de objetivos pessoais para permanecer no caminho certo. Esteja sempre reexaminando os fatores mais fortes que instigam as suas reações fisiológicas. Prepare-se para esses gatilhos eventuais e desenvolva uma estratégia clara para tomar decisões intelectuais e não emocionais. Algumas decisões são específicas, como a compra de algo com o dinheiro que você tem ao invés de utilizar um cartão de crédito. Mas nem todas as decisões podem ser tão precisas, portanto seja flexível e tenha uma ideia geral de como você pensa em agir. Definir de forma clara desejos e aspirações ajuda a fazer escolhas que reflitam os resultados desejados. Mantenha a sua lista de objetivos atualizada, significativa e motivante.


Os Últimos Retoques


No processo de domínio das emoções, é normal cometer erros. Não desanime se cair e precisar se levantar novamente. Evite armadilhas, tais como tomar decisões sob o efeito do álcool ou estando exausto ou altamente estressado. Para obter os melhores resultados, faça as escolhas cruciais quando estiver com a cabeça fria. Se algo der errado, reconheça que a sua decisão era incompatível com os seus objetivos e a corrija com coragem. Faça com que essa experiência seja um incentivo para seguir em frente

“É uma sensação poderosa ter o controle das suas escolhas e do seu destino.”

Continue a priorizar o que você quer da vida e faça escolhas conscientes. A capacidade de evitar as decisões emocionais vai ajudar você a escrever a história de vida que tanto deseja.

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo