• Eliane Silva

A cura da Procrastinação

7 passos para deixar de procrastinar


A Natureza Destrutiva da Protelação


A palavra “procrastinação” deriva do verbo latino procrastinare, que significa “deixar para amanhã”. Os procrastinadores sabotam a si mesmos, atrasando as atividades importantes que podem impulsionar as suas carreiras e as suas vidas pessoais.

“A procrastinação é perpetuada por boas intenções combinadas com maus hábitos.”

Muitas pessoas não compreendem a natureza da procrastinação e a culpam por seus problemas. No entanto, ela não é a causa; é o resultado de um esforço para se eliminar ou evitar atividades possivelmente dolorosas. Em vez de se engajarem em tarefas desafiadoras, os procrastinadores muitas vezes vão atrás de coisas triviais (e, portanto, não dolorosas) para fazer. Essas pessoas são orientadas a atividades ou trabalhos fáceis e divertidos e se esquivam daquelas difíceis e potencialmente perturbadoras. As pessoas também protelam para eliminar o desconforto da incerteza ou da hesitação.

“Se você trata somente o efeito, você nunca vai chegar à causa.”

A única maneira de resolver um problema de procrastinação é compreendendo as raízes que fazem com que você, ou um procrastinador na sua equipe ou vida pessoal, viva “empurrando os compromissos com a barriga”. Se você se concentrar apenas no efeito (procrastinação) e não na causa emocional ou comportamental, você não vai ter muito progresso. É como fazer uma dieta focando apenas nas táticas de perda de peso, sem dar atenção às razões que levam a pessoa a comer demais.


A Procrastinação Através dos Séculos


Ao longo da história, muitos têm se preocupado com a procrastinação. Em 800 a.C., Hesíodo, um poeta grego, identificou-a como algo pecaminoso. Independentemente de ainda ser considerada um pecado, ela é um problema social que atinge proporções epidêmicas. A vida moderna oferece aos procrastinadores inúmeras distrações, muitas vezes em forma eletrônica. Em vez de se dedicarem ao que precisa ser feito, os procrastinadores agora podem navegar na web, assistir televisão e jogar no computador. Muitas pessoas se iludem com o fato de que tais atividades possam ser produtivas, como a prospecção de vendas no Facebook. Sem dúvida, você pode aprender muito sobre as pessoas no Facebook, mas resista à tentação de se entreter com o que não tenha nada a ver com prospecção de vendas.

“Realizar os seus objetivos começa com um diálogo interno positivo combinado com uma ação afirmativa.”

A procrastinação gera custos enormes: 40% dos norte-americanos sofreram perdas financeiras devido à procrastinação. Em 2002, os americanos pagaram 473 milhões de dólares a mais em impostos do que o necessário. Por quê? Muitos esperaram até o último minuto para apresentar as suas declarações de imposto de renda e pagaram caro por eventuais erros. A procrastinação é o oposto da produtividade.


Dominando o Lado Esquerdo do Cérebro


Os procrastinadores sofrem mais com estresse, ansiedade e problemas de saúde que os que não são procrastinadores. A maior parte dos procrastinadores foge da dor associada às tarefas difíceis. No entanto, fugir das obrigações contribui para o aumento da tensão. A química do cérebro reage a essas emoções, inundando o corpo com substâncias químicas que causam dependência, incluindo adrenalina, cortisol, dopamina e serotonina.

“As nossas palavras se tornam a nossa realidade.”

É crucial entender que o lado esquerdo do cérebro constitui um poderoso centro de controle, o que pode ajudar você a diminuir a ansiedade e gerar reações positivas. Por exemplo, o “lado esquerdo do cérebro controla o seu diálogo interno (self talk)”, aquela voz na sua cabeça que vive dizendo: “Esse meu projeto vai ser um fracasso”. É claro que essas mensagens são dolorosas. Ao invés disso, procure gerar diálogos internos positivos. Aja de acordo com tais afirmações através de ações e pensamentos positivos e experimente sentimentos otimistas e felizes. Isso é muito motivacional. Quando você se sente bem, torna-se menos propenso a procrastinar. Portanto, o autoconhecimento é um componente vital para quem deseja superar a procrastinação.

“Se você estiver determinado a mudar, você deve se tornar um aprendiz da mudança.”

Você precisa de uma nova visão de si mesmo (e muita autoestima adicional) para eliminar a procrastinação. Comece deixando de se considerar um procrastinador. Ao contrário, diga a si mesmo: “Eu não sou um procrastinador. Eu estou em processo de recuperação”. A sua nova filosofia de vida tem três palavras: “Mãos à obra”. Entretanto, além do seu diálogo interno positivo, você deve abordar as causas reais da sua procrastinação. Passe a avaliar a sua personalidade e suas emoções e impulsione o seu autoconhecimento, tudo para abordar com maior eficácia a sua tendência de procrastinar. Os procrastinadores geralmente se enquadram em uma das seis categorias a seguir:

  1. Perfeccionistas neuróticos – precisam fazer tudo à perfeição, o tempo todo. Obviamente, isso não é possível. Este paradoxo provoca imensa dor psicológica, a qual as pessoas evitam através da procrastinação. Para mudar, deixe de supor que você deve ser perfeito em todos os sentidos. Antes, torne-se um “perfeccionista prático”, isto é, não busque a perfeição (impossível); procure ser bom, ótimo ou excelente.

  2. Megalomaníacos alucinados – vivem para satisfazer os outros e geralmente possuem boas habilidades, mas sofrem com hábitos terríveis e uma personalidade orientada ao vício. Eles vêm com sonhos ambiciosos, mas nunca se planejam para alcançá-los. Para fazer uma mudança, tente ser mais realista sobre o que pode realizar. Tenha uma visão de longo prazo do sucesso desejado. Dê passos pequenos e consecutivos para alcançar os objetivos. Caso tenha prejudicado alguém devido a suas atitudes precipitadas, procure desculpar-se.

  3. Ansiosos crônicos – lidam constantemente com cenários hipotéticos. Isso gera preocupação, nervosismo e ansiedade e pode causar ataques de pânico. As pessoas facilmente irritáveis acabam caindo em depressão. Reconheça que você vai se sentir melhor mentalmente quando o seu corpo estiver livre do estresse, por isso cuide melhor do seu corpo físico. E tente não pensar demais sobre tudo. Colha os benefícios positivos das novas experiências.

  4. Procrastinadores revoltados – Estes passivo-agressivos e obsessivo-compulsivos vivem de “cara amarrada” e aparentam estar muito bem superficialmente. No entanto, se você olhar um pouco mais fundo vai ver que as suas vidas são caóticas em termos emocionais. Eles vivem em conflito, o que impede a sua produtividade. Se isso descrever você, tente colaborar mais e se conectar com outras pessoas ao invés de combatê-las. Transforme a energia gasta com a raiva em algo criativo e produtivo.

  5. Viciados em adrenalina – Estes procrastinadores clássicos deixam tudo para o último minuto e depois fazem algo quase mágico para evitar o desastre total. Viciados em viver sob pressão, anseiam pela adrenalina e cortisol gerados pela pressão extrema. Para alterar esse padrão, seja mais objetivo. Pergunte-se diariamente se você está se permitindo entrar em alguma situação que vá gerar pressão. Se a resposta for positiva, o próximo passo é aprender a relaxar e planejar com antecedência.

  6. Doador obsessivo – Estes procrastinadores passam as suas vidas servindo aos outros, o que faz com que carreguem fardos terríveis. Uma vez que estão sempre concentrados em ajudar os outros, nunca têm tempo suficiente para cuidar dos próprios interesses, daí a sua procrastinação. Para mudar, essas pessoas sobrecarregadas precisam aprender a também receber ajuda dos outros.


A Recuperação


Apesar de ser possível apresentar algumas das características de um ou mais desses procrastinadores, não diga a si mesmo que você é um deles. Não assuma essa identidade. Enxergar-se como um procrastinador é uma boa desculpa para procrastinar. Ao invés disso, considere-se um procrastinador em restauração. Como um alcoólatra ou viciado em drogas em recuperação, um procrastinador em restauração é alguém que demonstra a coragem pessoal de mudar e enfrentar as causas do problema. Para começar, primeiro admita que a procrastinação é um problema; em seguida, procure as razões que levam você a procrastinar.

“A transformação da procrastinação ocasional em crônica não acontece do dia para a noite.”

Dedique algum tempo para lidar com a desordem física e com as questões emocionais que sobrecarregam e impedem você de agir com rapidez quando necessário. Como? Comece fazendo a faxina em algum aspecto de sua vida. Pegue um grande saco de lixo e jogue fora tudo o que você realmente não precisa e que vive atrapalhando e servindo de desculpa para procrastinar. Comece vivendo o presente imediato. O tempo é seu aliado. Faça com que ele funcione a seu favor.

“De centímetro em centímetro, é fácil; de metro em metro, é mais difícil.”

Dê o primeiro passo agora mesmo para conseguir o que você deseja. Substitua pensamentos negativos por afirmações como: “Eu estou abandonando a procrastinação um dia de cada vez” e “Eu vou descobrir o que está gerando a minha procrastinação”. Envolva-se em um novo negócio com base naquilo que você faz de melhor. Aprimore a sua saúde e preparo físico, dedique-se a relacionamentos construtivos e abrace a espiritualidade. Fuja das lamentações. Pense e aja de forma positiva, mas não assuma novos compromissos irrealistas. Comece pequeno e assuma novos desafios um dia de cada vez. Seja paciente.


Vivendo Longe da Procrastinação


Procure adotar esses sete hábitos positivos primários para a restauração de procrastinadores:

  1. Gerencie bem o seu tempo – Você não pode controlar o tempo, mas você pode gerenciar a forma como lida com ele e com as emoções relacionadas que acabam afetando você. Em primeiro lugar, tenha uma noção de como o tempo evolui: uma hora, um dia, uma semana, um mês, um trimestre, um ano. Aprenda a viver o agora e não se atenha sobre o que pode acontecer mais tarde. Comece não procrastinando por 15 minutos. Em seguida, use diversos segmentos de 15 minutos para fazer algo mais demorado. Depois de dominar os segmentos de 15 minutos, passe para os segmentos de uma hora. Em seguida, adicione progressivamente períodos mais longos de tempo.

  2. Defina metas exequíveis – Muitos procrastinadores se deixam intimidar estabelecendo metas irrealistas, um cenário perfeito para a procrastinação. Como os seus objetivos são gigantescos, eles não tomam as medidas corretas para alcançá-los, portanto nunca começam nada importante. Não cometa este erro comum. Ao invés disso, concentre-se em pequenos objetivos. Anote-os. Visualize como a sua vida será melhor após o sucesso.

  3. Execute uma tarefa de cada vez – Os procrastinadores não se organizam, mas você pode se organizar para acabar com a procrastinação. Crie listas. Atualize-as todas as noites. Trabalhe com afinco para desenvolver hábitos que lhe permitam ser produtivo.

  4. Coloque tudo no papel – Mantenha um registro escrito de apoio à gestão das suas novas rotinas. Reafirme diariamente o seu senso de organização. Diga a si mesmo: “Eu sou organizado. Eu consigo organizar a minha vida”.

  5. Elimine as distrações – O tempo é o seu recurso mais precioso. Gastá-lo em distrações que não alcancem os seus objetivos é como jogar dinheiro fora. As distrações não são necessariamente coisas grandes; podem ser pequenos flashes que roubem o seu foco, como prestar atenção a algo que ocorra fora do seu espaço de trabalho, distrair-se com as letras de uma música de fundo, checar o Facebook e assim por diante. Boa parte do seu tempo pode estar sendo desperdiçado online. Assim vai sobrar pouco para o resto.

  6. Seja orientado a recompensas – As pessoas que recebem algum tipo de recompensa, como uma comissão de vendas, uma promoção ou uma oportunidade para participar do time da escola, acabam se sentindo realizadas. As recompensas motivam o trabalho duro e repelem a procrastinação. Comece a pensar nas recompensas que poderiam surgir caso você se mantivesse focado.

  7. Descubra o poder da autoavaliação – Será que você possui uma visão objetiva de si mesmo e das razões pelas quais você não tem alcançado os seus objetivos? Não é fácil manter a objetividade se você não estiver avaliando a si mesmo e as suas ações (ou a falta delas). A autoavaliação envolve aprender sobre si mesmo e sobre as situações que surgem diariamente. Procure entender as emoções e atitudes que acabam levando você a procrastinar e identifique as melhores estratégias para superar a procrastinação.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo